Seu filho está usando mais tempo de tela? A Mobile Time mostra que sim.

crianças jogando vídeo game

No dia 27 de outubro, a Mobile Time lançou uma artigo que indicava os resultados de uma pesquisa sobre tempo de tela e uso de smartphones por crianças e adolescentes. Assim, nessa pesquisa foram comparados dados de 2019 e 2020, com alguns números interessantes.

Quer saber um pouco mais sobre os resultados e conversar sobre o assunto? Continue lendo!

Acesso ao smartphone de acordo com a faixa etária

A pesquisa contou com 1.982 brasileiros que possuem smartphone e que são responsáveis por crianças de 0 a 12 anos. Assim, um dos principais indicadores analisados foi a quantidade de crianças e adolescentes que tinham smartphones ou que usavam os dos pais. Sendo que alguns dados foram:

➡ 0 a 3 anos, 61% utilizam smartphone seja próprio ou emprestado dos pais
➡ 4 a 6 anos sobe para 89%
➡ 7 a 9 anos chega a 95%
➡ 10 a 12 anos o total é de 76% com smartphone próprio

Tempo de tela

Sobre o tempo de tela, os números também cresceram. Assim, alguns resultados foram:

➡ 0 a 3 anos passou de 34% para 40%
➡ 4 a 6 anos subiu de 21% para 27%
➡ 7 a 9 anos saltou de 30% para 43%
➡ 10 a 12 anos de 55% para 58%

Com isso, vemos que a média do tempo de tela passou de 34% para 40% em apenas um ano.

Equilíbrio digital e tempo de tela

Com esses dados, é possível entender como as telas estão fazendo parte do nosso cotidiano de maneira regular. Além disso, na pandemia as atividades foram muito direcionadas para os smartphones, tablets, TVs…

Mas será que isso é totalmente negativo? Acontece que a tecnologia está cada dia mais integrada com a nossa vida. Assim, não temos como evitar o inevitável, mas conseguimos equilibrar essa vida real e virtual.

Para equilibrar o tempo de tela com o tempo offline e, assim, atingir os benefícios de ambos, algumas dicas são:

  • Separar lugares em que será proibido usar o celular, como quarto ou a mesa do jantar;
  • Pensar em um horário limite para o uso das telas, respeitando esse limite;
  • Pensar em momentos especiais consigo mesmo e com outras pessoas importantes. Então, defina datas, duração e tipo de atividade que pode ou não usar telinhas;
  • Analisar o tipo de conteúdo que está sendo consumido. Assim, você entende se aquilo está agregando algo na sua vida.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite e siga a gente no Facebook, dê uma curtida no Instagram, se inscreva no YouTube e visite nosso LinkedIn para mais conteúdos relevantes!