Uso de telas: 5 mitos (e verdades) para você conhecer

5 mitos e verdades sobre o uso de telas

O uso de telas é um tema bastante polêmico nos dias atuais, dividindo opiniões, sendo foco de pesquisas e bate-papo entre pais, mães, educadores, psicólogos etc. Porém, justamente por ser um assunto popular, alguns mitos rodeiam o uso de telas e acabam confundindo muitas pessoas.

Vamos falar sobre alguns desses mitos logo abaixo, indicando possíveis mitos e verdades, confira:

1. Todo uso de telas é ruim

A tecnologia não precisa ser a inimiga da sua família. Afinal, a internet e os eletrônicos podem sim ajudar na educação, na rotina ou mesmo em momentos de diversão, sem prejudicar ninguém.

Para isso, a OMS recomenda que o uso de telas seja pensado de acordo com a idade, sendo o ideal:

  • 0-2 anos: nenhum tempo de tela;
  • 2-5 anos: máximo 1 hora por dia;
  • 6-10 anos: máximo 2 horas por dia;
  • 11-18 anos: máximo 3 horas por dia.

Além dessas indicações, é possível sentar com o seu filho e planejar o uso das telas, pensando nas atividades a serem feitas, sites e apps interessantes.

2. Os eletrônicos tornam as crianças antissociais

É verdade que, quando o foco é apenas passivo ao usar a tela (como jogos ou consumo de vídeos etc.), a criança, o adolescente ou mesmo o adulto tende a se isolar para a atividade. Mas, a tecnologia pode sim aproximar as pessoas indo além da comunicação por mensagens, ligações e redes sociais.

Como exemplo, o tempo em família pode ser feito com brincadeiras e jogos usando o computador, como uma dança no TikTok, um jogo virtual ou mesmo um karaokê usando o YouTube. Outro exemplo é o uso de chamadas virtuais para conversar com os amigos e colegas, matando a saudade durante esta pandemia.

3. O uso de telas tira o gosto pela leitura

Será que o celular realmente tira o gosto pelo livro? Ou será que o digital pode ajudar nesse interesse pela leitura?

As crianças e adolescentes de hoje em dia estão acostumados com as telinhas porque no mundo ao redor delas mostra e dá os eletrônicos como parte da rotina. Por isso, o mundo digital é um atrativo muito grande e pode sim ajudar a criar esse interesse pela leitura.

Uma boa história não precisa ser contada apenas com o livro em papel, você pode acessar bons conteúdos em sites, blogs, e-books, livros digitais, plataformas de histórias e muitos outros lugares que unem a escrita e a leitura com as telinhas.

4. O interesse das telas é natural para crianças e adolescentes

Mesmo que as crianças e adolescentes mostrem facilidade no uso das telas, é importante lembrar que isso não é natural ou “de nascença”. Todos nós aprendemos com os exemplos ao redor e, se o mundo está cada vez mais conectado, é normal que as crianças e adolescentes queiram essa conexão.

Assim, antes de achar que as telas são naturais, é interessante analisar o ambiente e perceber como elas fazem parte da nossa própria rotina, influenciando as outras pessoas.

5. Telas tiram o interesse por outras coisas

Por fim, assim como as telas podem ajudar na leitura, elas também podem ajudar com imagens, vídeos, sites, aplicativos e os mais variados acessos para conteúdos diversos. Imagine visitar um museu por um site, ou um aquário com vídeos e foto, ou mesmo ver a casa do amiguinho no mapa.

Pois é, as telas não precisam tirar o interesse de outras coisas, elas podem inclusive aumentar esse interesse e acesso. Além disso, quando usadas com equilíbrio, é possível misturar as atividades virtuais e reais, aproveitando o melhor dos dois mundos.

Gostou de tirar essas dúvidas sobre o uso de telas? Clique aqui e aproveite para conhecer mais sobre regras e combinados para o uso equilibrado do celular!