Quando dar o primeiro celular para o meu filho?

menina de blusa amarela olhando o celular

 

 

 

 

 

 

Comprar o primeiro celular para o seu filho é um grande passo para todos os envolvidos. Afinal, muito provavelmente a criança ou adolescente quer o aparelho para se comunicar, jogar, tirar fotos e conversar com os colegas, adicionando um hábito no dia a dia.

Mas como eu sei a idade certa para o primeiro celular? Como garantir um uso saudável? Há regras que posso estabelecer? Confira esses e outros pontos neste artigo!

Idade não é sinônimo de maturidade

Dar o celular para uma criança ou adolescente é uma escolha que os pais têm pensando na idade do filho. Porém, a questão do primeiro celular está muito ligada ao uso que será feito, necessidade que aquela família tem e maturidade.

Afinal, uma coisa é deixar a criança usar o celular dos pais em casa, outra coisa é dar o primeiro celular e, assim, oferecer mais independência. Isso está muito relacionado com maturidade intelectual e emocional do seu filho, e essa análise deve ser feita pelos próprios pais.

Apesar disso, a OMS e vários pediatras já indicam o tempo de tela limite de acordo com a idade, como:

  • até 2 anos de idade – 0 tempo de tela;
  • 2 – 5 anos – máximo 1 hora por dia com supervisão;
  • 6 – 10 anos –  máximo 2 horas por dia;
  • 11 – 18 anos –  máximo 3 horas  por dia.

Assim, use essa média para te ajudar a entender o melhor momento de dar um aparelho para seu filho, considerando que o uso será maior.

Celular não é direito de nascença

Se você não quer que o seu filho tenha um celular, diga não. Entenda que o aparelho não é um direito de nascença e explique em qual momento ele poderá ter um celular.

Outra opção, se o seu filho precisa de maneiras para entrar em contato com você, é oferecer um celular pré-pago, de uso limitado.

Regras devem ser discutidas antes do presente

Para garantir o bom uso do primeiro celular, combine algumas regras antes de dar o presente, como exemplo de:

Tempo de uso

Você deve imaginar que o tempo de uso é sempre uma questão muito delicada. Afinal, o excesso de tela é uma realidade para crianças, adolescentes e adultos. Assim, combine o tempo diário de uso e aproveite ferramentas que te ajudam a garantir isso, como o AppGuardian e os relatórios, bloqueios e ações para a rotina que acompanham a ferramenta.

Benefícios e malefícios do mundo virtual

Todos sabemos que a internet pode ser amiga ou vilã, tudo depende da maneira que acessamos e tipos de conteúdos. Assim, converse sobre os perigos que acompanham o acesso à internet, como:

  • Contato com estranhos;
  • Vírus que podem prejudicar o aparelho;
  • Exposição online que pode colocar a vida das pessoas e das famílias em risco;
  • Conteúdos impróprios sexuais ou violentos;
  • Outros temas que você julgar necessário conversar.

Dessa maneira, você ajuda o seu filho a entender os limites da conexão e já aproveita para sugerir bons usos do primeiro celular, conversando sobre apps divertidos, outros que ajudam os estudos etc. Assim, converse de forma aberta e sincera sobre o mundo virtual, tornando o processo mais fácil.

Tipos de sites e apps permitidos no primeiro celular

Aproveite que vocês conversaram sobre os benefícios e perigos do mundo virtual e já façam uma lista de sites e apps que podem ser interessantes. Assim, você abre espaço para as opiniões e vontades do seu filho e aproveita para indicar bons acessos com o aparelhinho.

Ajuda nos custos excessivos

Outra regrinha é combinar o custo fixo para o uso do celular. Se você paga um plano pré-pago, por exemplo, e seu filho excedeu o valor, combine que essa quantia será paga por ele.

Se ele ainda não tiver dinheiro suficiente, uma opção é restringir o uso até que ele consiga juntar o valor. Dessa forma, a responsabilidade e consequências são divididas entre vocês.

Ciência sobre uso limitado na escola e outros ambientes

Converse com seu filho sobre os lugares em que o celular é limitado, como a escola ou cinemas. Assim, peça para que ele mesmo pesquise sobre as regras da escola e já entenda como se comportar nesses lugares, respeitando não só as regras, como as outras pessoas.

Monitoramento do eletrônico

Para garantir uma boa rotina de uso e acessos adequados, o AppGuardian trabalha com o monitoramento do aparelho com diversas funções para os pais e mães. Como exemplo, você pode definir o tempo de conexão, entender os sites e appsacessados, consultar o relatório mensal, limitar o acesso de sites e apps, receber notificações e muitas outras funções.

Esse monitoramento te ajuda a manter a segurança e o equilíbrio de uso. Assim, é uma boa opção para você testar no seu aparelho e no primeiro celular do seu filho.

Exemplo junto com diálogo

Por fim, uma última dica é lembrar que os filhos (principalmente as crianças) observam e imitam muito o comportamento dos pais. Assim, aproveite para olhar o próprio uso digital e tente achar um equilíbrio sobre a quantidade de tempo conectado, tipos de conteúdos acessados etc. Além disso, observe se o tempo de atividades em família e tempo especial com os filhos está sendo um momento de qualidade, que garante a alegria de todos.

Aproveite para baixar o aplicativo no Google Play ou na Apple Store!
Siga a gente no Facebook, dê uma curtida no Instagram, se inscreva no YouTube e visite nosso LinkedIn para mais conteúdos relevantes!