Homem Pateta: saiba como proteger o seu filho

Na mesma categoria da boneca Momo, Baleia Azul e Quebra Crânio, o Homem Pateta está assustando várias famílias. Uma simples conta no Facebook se tornou notícia após relato de uma mãe sobre a interação do Homem Pateta com a sua filha.

O contato induz à automutilação e ao suicídio, além de provocar medo nas crianças e adolescentes. E agora? Preciso proibir o uso do celular? O monitoramento pode ajudar? Como entender mais sobre crime virtual?

Acompanhe este artigo e entenda mais sobre o assunto!

Como explicar o Homem Pateta para o meu filho?

Cada família pode conversar com a criança ou o adolescente de jeitos diferentes, não tem problema. 

Alguns podem achar melhor mostrar a imagem e explicar. Outros podem preferir não mostrar nada, apenas perguntar se o filho ouviu falar do Homem Pateta ou o que sabe do assunto. Além disso, outros pais não vão nem querer falar o nome dele, apenas explicar de forma geral sobre o tema.

Independentemente da abordagem, é importante manter o canal de conversas aberto e puxar um momento de diálogo, tentando:

  • Ser sucinto e direto, usando um discurso de fácil entendimento;
  • Explicar como o Homem Pateta atua para entender como evitar contato;
  • Indicar o que fazer se houver algum tipo de contato, ou seja, avisar os pais e usar as provas para denunciar;
  • Destacar que você sempre estará aberto para conversar sobre o assunto quando seu filho precisar.

Proibir o uso de celular é a solução?

Nos momentos de maior insegurança é normal pensar na proibição do celular. Porém, convenhamos que isso é quase impossível em tempos de quarentena e até na rotina normal.

Assim, ao invés de proibir o uso, opte pelo monitoramento parental e controle da quantidade de horas que seu filho fica conectado. Além disso, é possível bloquear sites e apps perigosos, além de garantir uma conexão saudável.

Além disso, é super recomendável despertar outros interesses na crianças e adolescentes para tirar seu foco exclusivo no universo virtual. Assim, outro ponto é prestar atenção ao exemplo que os pais estão dando para os filhos. Dessa maneira, se você proíbe o celular mas fica muito tempo conectado, pode ter certeza que o sentimento de injustiça vai aumentar na criança e no adolescente, causando situações desafiadoras.

Quais sinais meu filho apresenta quando existe algo errado no mundo virtual?

Se você desconfia que há algo de errado, você pode considerar esses 8 sinais que o Programa de Dependências Tecnológicas do Hospital das Clínicas de São Paulo listou:

1. Pensar o tempo todo em estar conectado

2. Querer aumentar sempre o tempo conectado para sentir alegria, satisfação ou prazer

3. Tentar parar de usar a internet e não conseguir

4. Sentir irritação, raiva, ansiedade, sinais de depressão durante o tempo que não pode usar a internet

5. Mudar o humor ou comportamento quando entra em contato com a internet

6. Perder a noção do tempo em que fica conectado e não conseguir sair

7. Isolar-se, não ter amigos, ter dificuldade de se relacionar pessoalmente pelo uso excessivo da internet

8. Mentir para as pessoas sobre o tempo que fica conectado

Além disso, questões como diminuição do rendimento escolar, mudança de humor em momentos aleatórios e cansaço extremo indicam desequilíbrios no uso do celular, tablet, computador etc.

Ao identificar esses sinais, é importante conversar com seu filho e entender o que está acontecendo de errado. Assim, a partir disso os pais e mães também podem, junto com a criança ou o adolescente, combinar uma rotina mais saudável para o uso de telas, priorizando a saúde e os benefícios da tecnologia!

Gostou das dicas? Compartilhe este conteúdo com seus colegas!

Aproveite para baixar o aplicativo no Google Play ou na Apple Store!
Siga a gente no Facebook, dê uma curtida no Instagram, se inscreva no YouTube e visite nosso LinkedIn para mais conteúdos relevantes!