Dia dos Namorados chegando! Como conversar com seu filho sobre relacionamentos?

O famoso Dia dos Namorados é nesta sexta-feira e, durante a quarentena, muitas pessoas vão comemorar de longe, porém o tema ainda é super presente nos dias antecedentes.  Que tal aproveitar a data e abrir um diálogo interessante com seu filho adolescente sobre relacionamento?

Essa conexão não precisa ser forçada e nem desconfortável para nenhum dos dois, mas deve partir do diálogo e conexão. Quer conhecer algumas dicas para conversar sobre relacionamentos? Acompanhe este artigo e fique por dentro!

1. Construa proximidade com o adolescente

Para conversar sobre relacionamentos, comece melhorando o vínculo entre você e seu filho. É na adolescência que mudanças hormonais, comportamentais e novas descobertas são feitas. Assim, é mais do que necessário estar próximo dele e mostrar que, para qualquer coisa que ele precisar, você pode apoiá-lo.

Essa proximidade não precisa ser forçada, pode começar com pequenos momentos especiais que você cria junto com ele. Assim, esses momentos vão, pouco a pouco, abrindo caminhos para conversas mais profundas em que você pode começar a conversar sobre relacionamentos, namoros, ficantes etc.

2. Abra espaço para o diálogo e ouça

É normal ficar nervoso com “a” conversa sobre namoro, sexualidade, relações etc. Muitos pais e mães ficar tão ansiosos que desatam a falar.

Assim, aqui a proposta é construir esses momentos de diálogo com foco na escuta, entendendo os sentimentos do filho, suas dúvidas, emoções e qualquer outro ponto que ele queira discutir. Além disso, se seu filho estiver muito resistente, você pode fazer algumas perguntas e entender se ele realmente quer conversar sobre isso naquela hora ou se prefere marcar um momento especial.

3. Crie conexão a partir das suas experiências

Para aumentar a conexão com o filho e se sentir confortável para conversar sobre relacionamentos, que tal compartilhar algumas experiências? Não estou falando de nada que seu filho ache “nojento” ou “meloso”, mas momentos reais que você teve na adolescência e que se parecem com a situação que ele está vivenciando.

Dessa maneira, o vínculo se torna ainda mais forte e ele pode se sentir confortável para falar sobre problemas, dúvidas e qualquer outra coisa que quiser. Ainda haverá coisas que ele não quer dividir com você e prefere conversar com os amigos, e se não houver questões prejudiciais com isso, é importante respeitar essa privacidade.

4. Equilibre liberdade e limite

Claro que nossos filhos precisam de limites, mas a liberdade também deve ser considerada, sem impôr uma imagem autoritária e controladora. A proibição não é a melhor forma de lidar com o assunto, o ideal é criar acordos com o adolescente em relação ao tema.

Dessa maneira, se ele quer fazer uma videoconferência com alguém especial, sem problemas, mas combine o horário, duração e o que precisa ser feito antes.

Além disso, é necessário entender que a intimidade e liberdade de expressão entre vocês deve ser trabalhada desde cedo, o ideal é que esse contato comece de pouquinho antes da adolescência, garantindo a comunicação respeitosa e aberta entre todos.

Gostou de entender melhor como conversar sobre relacionamentos com seu filho? Aproveite para compartilhar este artigo em suas redes sociais e mostre para todos a importância desse assunto!

Aproveite para baixar o aplicativo no Google Play ou na Apple Store!
Siga a gente no Facebook, dê uma curtida no Instagram, se inscreva no YouTube e visite nosso LinkedIn para mais conteúdos relevantes!