O que crianças de 7 a 12 anos estão assistindo na internet?

Crianças na internet

Você sabia que em 2019, pela primeira vez, as pessoas vão passar mais tempo on-line que em frente às telas de TV? Diante desse fato, não há como fugirmos da pergunta: o que crianças de 7 a 12 anos estão assistindo na internet?

Os brasileiros, em especial, adoram vídeos. Em 4 anos, o consumo de vídeos no Brasil cresceu 135%, enquanto o consumo de TV cresceu apenas 13%. Nosso país é um dos campeões em compartilhamento de vídeos pelo WhatsApp, maratonar séries na Netflix e consumir horas e mais horas de conteúdo no YouTube.

De acordo com a Google, o YouTube já é o site mais utilizado pelos brasileiros para assistir a vídeos. E a garotada não fica para trás. Com canais e youtubers preferidos, o público jovem tem conteúdo de sobra para informação e diversão.

Segundo a pesquisa ESPM Media Lab, que analisou o consumo e a produção de vídeos para crianças, 48% dos canais mais assistidos no YouTube Brasil produz conteúdo voltado para usuários de até 12 anos.

Você possui filhos nessa idade? Então conheça agora o tipo de conteúdo mais assistido pela criançada e fique por dentro do que eles provavelmente estão conversando a respeito:

GAMES

Canais que falam sobre jogos, vlogs (espécie de diário em forma de vídeo), gameplay (aqueles vídeos que mostram o usuário jogando) e consoles estão entre os mais assistidos pela garotada na plataforma.

De acordo com o levantamento da ESPM Media Lab, são nada mais, nada menos, que 52,5 bilhões de visualizações únicas para o público de 0 a 12 anos hospedados na plataforma de vídeos do Google, e só o Minecraft alcança mais da metade desse total.

O Minecraft é, disparado, o jogo mais comentado e jogado. Outros jogos que se destacam são The Sims, Pokemon Go e Clash Royal. Rezendeevil (23 milhões de inscritos), Authentic Games (16 milhões), TazerCraft (11 milhões) e Coisa de Nerd (9 milhões) são os canais desse nicho com maior número de curtidas.

DESENHOS E MUSICAIS

Em segundo lugar estão os vídeos de programas infantis transmitidos na TV e que disponibilizam conteúdo on-line, como Gloob (1,5 milhão), Cartoon Network (3 milhões) e Discovery Kids (1,8 milhão). São desenhos, séries e outros programas de TV voltados para o público infantil. Alguns canais oficiais de desenhos, como a Turma da Mônica (10 milhões) e Patati e Patatá (4,3 milhões), produzem conteúdo especialmente para o YouTube.

UNBOXING

Os vídeos de unboxing são muito populares no YouTube. O youtuber compartilha com seus seguidores o momento em que abre caixas de presentes e também de produtos comprados, como Kinder Ovo, bonecas LOL, ovos de páscoa e outros tipos de caixas de brinquedo.

Podem ser divididos em duas características: vídeos com mãos adultas e vozes infantilizadas abrindo os pacotes ou vídeos estrelados por youtubers que mostram o produto e como pode ser utilizado. Também fazem as chamadas “reviews”, que são análises do produto.

De acordo com a pesquisa MediaLab, as crianças conseguem entender e identificar a publicidade tradicional, aquela que é feita nas pausas entre um programa ou vídeo.

Porém, não há comprovação de que elas consigam entender vídeos de unboxing como narrativas publicitárias, o que eles realmente são. Com isso, as crianças podem ter acesso a um mundo de consumo desenfreado sem qualquer proteção.

Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, as crianças são consideradas sensíveis e vulneráveis à publicidade. Por isso, os vídeos de unboxing, que são, basicamente, publicidade, devem ser analisados com cuidado pelos pais. As crianças podem estar recebendo estímulos de compras sem que realmente saibam disso.

NOVELINHAS

Um outro tipo de vídeo que tem se destacado na rede social dos vídeos é a novelinha. Uma narrativa é construída utilizando brinquedos reais, como bonecos, que são segurados por mãos adultas e ganham vozes caricatas desses mesmos adultos.

O canal TototoyKids é um dos maiores da categoria, com mais de 13 milhões de inscritos. As novelinhas também são feitas pelos youtubers mirins.

YOUTUBERS PARA O PÚBLICO INFANTIL

Os youtubers já são considerados estrelas. Alguns ainda são bem jovens, mas conseguem ganhar bastante dinheiro com a plataforma.

O garoto Ryan, de 8 anos, é o dono do canal Ryan ToysReview, que faz resenhas de vários brinquedos. A simpatia do pequeno atrai o público infantil pelos brinquedos mostrados, pela descontração do vídeo e pela identificação.

Mas não se deixe enganar pela idade. Ryan possui quase 20 milhões de inscritos no seu canal e é capaz de esgotar o estoque de um brinquedo nas lojas em questão de dias. Basta que ele mostre-o no seu canal.

Já a youtuber Julia Silva, uma das pioneiras mirins no YouTube Brasil, conta com mais de 4 milhões de inscritos no seu canal. Faz vlogs, fala de viagens, brincadeiras e faz vários unboxing. Tem seu canal desde 2005. Hoje, aos 13 anos, está passando do público infantil, com brincadeiras de boneca e novelinhas, para o teen.

YOUTUBERS PARA O PÚBLICO TEEN

Aqui, o conteúdo é voltado para crianças mais velhas. Jovens e adultos mostram o seu cotidiano, viagens, compartilham pensamentos, curiosidades, desafios, trabalhos, brincadeiras (também chamadas de trollagens) ou fazem comentários a respeito de questões atuais para a sua legião de fãs.

Um dos maiores expoentes é o Felipe Neto.

Seu irmão, Luccas Neto, segue o mesmo caminho, com 23 milhões de inscritos. Já o canal dos Irmãos Neto, que se autoproclama o principal canal de entretenimento infanto-juvenil do Brasil, possui mais de 1,3 bilhão de visualizações (isso mesmo, bilhão!), com 13 milhões de inscritos.

Outros exemplos de youtubers famosos são Kéfera Buchmann, Christian Figueiredo, Jout Jout e LubaTV.

É importante acompanhar tudo o que os seus filhos estão assistindo na internet. Essas pessoas, crianças e adultos, não são chamados de influencers à toa. A personalidade, o vocabulário e os interesses de crianças e adolescentes podem estar sendo moldados por essas pessoas.

Vale a pena tirar um tempinho para conhecer os youtubers que seu filho acompanha e verificar se o conteúdo produzido está de acordo com a idade dele!

Lembre-se que somente proibir que seus filhos assistam a determinado conteúdo talvez não seja a melhor saída, já que a internet faz parte da vida de todos. Por isso, o AppGuardian quer ser mais uma ferramenta diária na busca pela navegação segura dos filhos pela Web, incentivando um diálogo aberto e a conexão cada vez maior entre pais e filhos.

Este texto também foi publicado no Family Center em outubro de 2019

Gostou desse post? Não se esqueça de deixar seu comentário e compartilhar com seus amigos nas redes sociais! =)

Baixe o AppGuardian no Google Play
Baixe o AppGuardian na Apple Store